A barragem de Tono não irrigou 1700ha campos de arroz durante 4 anos

AMBENO (TOP) – Há mais de quatro anos, 1.700 hectares de arrozais no subdistrito de Pante Makassar, Oe-Kusi Ambeno, não são administrados por agricultores porque a barragem construída pelo governo com um orçamento de 11 milhões de dólares americanos não está funcionando.

Existem vários hectares de campos de arroz que estão muito perto desta barragem, mas os agricultores não conseguem gerir os seus arrozais porque já não há água há vários anos, e é ainda pior agora que na época das chuvas a água desta barragem também não entra nesses campos.





A barragem foi construída em 2015 e inaugurada em 2017 pelo Presidente da República Francisco Guterres Lú Olo, e pelo Primeiro-Ministro do governo minoritário Mari Alkatiri.

Lú Olo, que também é o Presidente do Partido FRETILIN, afirmou que as pessoas de Oe-Kusi Ambeno, especialmente as que vivem perto desta barragem, não passarão fome porque os agricultores irão gerir os seus arrozais 3 vezes por ano, mas o fato é que após a inauguração dessa barragem ela não funcionou mais uma vez e resultou em centenas de hectares de arrozais abandonados.

O governo da autoridade de Oe-Kusi Ambeno liderado por Mari Alkatiri disse que esta barragem vai beneficiar os agricultores das tribos Cunha, Lalisuk e Lifau mas os resultados não estão aí, e as pessoas de algumas dessas tribos exigiram e pediram ao governo o especial autoridade de Oe-Kusi Ambeno para encontrar uma solução para consertar essa barragem.

“Fizemos uma reunião com todos os proprietários dos arrozais para reparar esta barragem, mas não podemos repará-la com as nossas próprias forças. Por isso pedimos ao governo que a conserte imediatamente para que possa ajudar os agricultores a gerir os seus arrozais que estão dormindo há muito tempo ", disse Gaspar Naheten, um dos proprietários ao The Oe-Kusi Post (TOP) na barragem de Tono, Oe-Kusi Ambeno, quinta-feira, 17 de dezembro de 2020.

Entretanto, de acordo com o Chefe do Suco de Lalisuk, Hermenegildo Lalisuk, ele considera que a barragem de Tono não é uma benção para os arrozeiros, mas sim um desastre, porque segundo ele, antes da barragem, os agricultores ainda podiam gerir os seus arrozais com água do rio mas quando a barragem de Tono foi construída em 2015 e a partir desse momento eles não administraram mais seus arrozais porque a barragem de Tono não estava funcionando.

O Chefe do Suco de Lalisuk, Hermenegildo Lalisuk. Imagem TOP/Abilio Elo Nini.

“Comunidades de quatro sucos como Cuña, Lalisuk, Costa e Lifau prepararam tratores, mas o volume de água não é suficiente para trabalhar. Peço ao Presidente Autoridade da Região Administrativa Especial de Oe-Kusi Ambeno e sua equipe que prestem atenção a esta barragem ”, explicou.

Naheten explicou que se passaram quase quatro anos desde que os agricultores dessas quatro sucos não conseguiram fazer suas colheitas por causa da redução das chuvas e da represa que não irrigava esses campos.

“Antes dessa barragem, os agricultores trabalhavam nos campos todos os anos, mas depois que essa barragem foi construída, muitos dos arrozais estão abandonados”, explicou.





Em resposta a isso, o Diretor de Agricultura e Desenvolvimento da Região Administrativa Especial de Oe-Kusi Ambeno (RAEOA), Serilio dos Remedios Baba, reconheceu as reclamações dos agricultores e também reconheceu que centenas de hectares de campos de arroz não foram administrados devido à El Conseqüências de Nino e também barragens ruins.

“Então, em um futuro próximo teremos uma reunião com os agricultores para limpar a barragem porque há dois canais cheios de lama e areia. Precisa ser limpa para que a água possa escoar para os arrozais”, explicou.

Abilio Elo Nini
Author: Abilio Elo NiniWebsite: www.oekusipost.comEmail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Reporter
Reporter base in Ambeno, Oecusse.

PUBLISIDADE

Online Counter