Dando voz à sua propria fome, você pode ser criminalizado em Timor-Leste

DILI (TOP) - Ser pobre e passar fome em Timor-Leste pode ser alvo de criminalização por parte de políticos no parlamento nacional.

Rozalito de Jesus, do município de Manufahi, viveu há vários anos numa casa alugada com a sua esposa e dois filhos em Bebonuk, Díli.

Antes da pandemia de Covid-19, Rozalito tem trabalhado numa empresa de um chinês em Bebonuk.

Segundo Rozalito, antes do governo de Timor-Leste começar a introduzir o período de “estado de emergência” para reduzir a propagação do vírus, ele tinha rendimentos suficientes do seu trabalho e sempre pagou o alugar pontualmente. Mas depois com o período do Estado de Emergência seguido pela introdução do período de cerca sanitária em Dili desde o final de 2020, fez-lhe perder o emprego e também os rendimentos.

Desde janeiro a abril de 2021, ele não tinham mais dinheiro para pagar o aluguer e comprar comida, enquanto o dono da casa está sempre a exigir, mas eles não tinham dinheiro.

Diante dessa situação, a sua esposa pensou muito e pretendia penhorar o único filho como garantia para pagar o aluguel, mesmo que depois chegou de mudar a ideia.

"A minha mulher pensou muito e pretendeu oferecer o filho como garantia, mas felizmente isto não aconteceu”, disse Rozalito ao The Oe-Kusi Post (TOP) em Komoro, Dili, Segunda-feira, 17 de Maio de 2021.

A notícia sobre a fome de Rozalito apareceu pela primeira vez na GMN TV, uma estação de rádio e TV local e chocou muitas pessoas.

Após a transmissão, a ajuda começou a chegar a esta pequena família, incluindo da polícia local e amigos, incluindo o partido CNRT na oposição. Também chamou a atenção dos deputados nacionais. Infelizmente, parlamentares dos partidos da FRETILIN e KHUNTO atacaram imediatamente os jornalistas que cobriam as notícias sobre esta fome.

Inicialmente atacaram os jornalistas que trabalhavam para os meios de comunicação no parlamento e depois ameaçaram criminalizar a família, especialmente a família do Rozalito alegando que eles inventaram a história.

É uma pena enquanto os membros do Parlamento em muitos países tenham sido muito amáveis ​​com o seu povo, em Timor-Leste a situação é muito diferente. Como sempre, são os próprios membros do parlamento negam toda a fome e pobreza vividas pelos pobres durante a pandemia de Covid-19. Esses membros do parlamento timorense que pertencem às facções do governo em exercício recusavam acreditar que existissem pobres por aí, precisamente num dos países considerados mais pobres do planeta.

O parlamento nacional de Timor-Leste é um órgão de soberania consagrado na Constituição “para representar todos os cidadãos de Timor-Leste, mas não é o caso na realidade.

Curiosamente, o Presidente do Parlamento Nacional, Aniceto Guterres, emitiu uma declaração condenando as famílias que afirmavam estar a passar fome em Dili. Para além da sua função de representante de todos os cidadãos timorenses, a Assembleia da República é o órgão legislativo de excelência, no qual reside o poder supremo de legislar, de tomar iniciativas legislativas e de controlar os atos legislativos do Governo, incluindo o escrutínio dos trabalhos e atos de membros do governo.

Voltando ao caso da família que expressou sua fome há dias, está agora a ser investigado pela polícia de investigação criminal a partir de terça-feira, 19 de maio de 2021. A polícia fez isso com base no depoimento do presidente do parlamento nacional que também é membro do partido FRETILIN. A FRETILIN é agora o partido que serve de “suporte” e apoia o governo do Primeiro-Ministro Taur Matan Ruak.

“Quero saber as informações sobre a família que usou os filhos como garantia para outros a conseguir algo ou para conseguirem comida em troca”. Este é um crime grave ”, disse Aniceto Guterres no Parlamento Nacional.

Ele acrescentou que qualquer pessoa que penhora o seu filho [em troca de algo] a outras pessoas está infringindo a lei, e [aqueles] os que aceitam a criança como peão também estão cometendo um crime.

“Vou pedir ao governo, à polícia nacional de Timor-Leste que abra um processo de investigação sobre este caso, que seja verdade ou não, se não for verdade deve também ser processado criminalmente”.

A ameaça de criminalizar esta família também partiu do partido KHUNTO. Um membro parlamentar do partido KHUNTO, deputada Olinda Guterres, disse que a notícia sobre a fome da família Rozalito é um HOAX, e falsa.

Ela acusou a mídia de atuar nos bastidores, com a notícia da fome. "Não acredito que as pessoas usem os filhos como garantia para pagar o aluguel."

É uma mentira total, disse Olinda Guterres, do KHUNTO, referindo-se ao seu país que, de acordo com as perspectivas de crescimento do ADB para 2021, registrou -7,8% de crescimento econômico em 2020.

Raimundos Oki
Author: Raimundos OkiWebsite: https://www.oekusipost.comEmail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Xefe Redasaun & Editor

PUBLISIDADE

Online Counter